Suzuki San, o luthier surf music

Ele só lembra que era a primavera de 45, entre o final de março e meados de maio, porque o inverno já tinha acabado e a guerra não. O Japão se renderia depois do bombardeio de Nagasaki e isso só aconteceria em agosto de 1945. Ele tinha 4 anos.
Um vizinho passou pela rua gritando que os americanos iam bombardear Hamamatsu. Eles estavam com seus navios na costa japonesa de Tokyo a Kobe e aquela pequena cidade estava bem no meio do caminho. Eram 500 km completamente dominados pela marinha mais poderosa do Pacífico. O Japão já havia perdido toda sua armada inclusive seu maior troféu, o Yamato. A última trincheira de resistência que era a ilha de Iwojima já havia caído, a invasão dos americanos por terra era uma questão de meses. O pai dele resolveu sair de casa e fugir para o interior, em direção do vilarejo de Hamakita. Esconderam-se num bosque próximo às plantações de arroz do Rio Tenryu. Aquela foi uma noite longa, as explosões começaram logo que anoiteceu e só terminaram com o sol, de manhã. Ele lembra que via as luzes no céu e na terra e que foi impossível dormir com tanto barulho. Quando as sirenes tocaram avisando que os bombardeios terminaram, a família resolveu voltar para casa.
Quando chegaram lá, só havia um buraco e fumaça saindo de dentro dele. A casa já era. Tremenda família sortuda que resolveu cair fora. Alguns dos vizinhos teimosos morreram e estavam espalhados pelos escombros.
Depois ele apenas sobreviveu, aprendeu a amar o rock'n'roll, virou guitarrista de surf music e há meio século é fã do The Ventures. Trabalha com pianos há 40 anos e sabe tudo da luthieria, tudo mesmo.
Ontem fomos a um estúdio nos desenferrujar. É esse tiozinho do meu lado e me orgulho pra crálio por conhecê-lo. Tocamos Misirlou meio bossa-nova, meio rock'n'roll e Pipeline com a fúria de quem tem 18 anos.
Depois dessa foto, correu pra casa pra ver os netos, gêmeos. Disse que ia contar de um brasileiro, etc.

2 comentários:

Marcio disse...

Cool

Anônimo disse...

É o movimento eleki!

http://blog.wfmu.org/freeform/2005/06/takeshi_terauch.html