A origem


Tava indo pra aula e passei na casa do amigo pra irmos juntos. Enquanto ele corria pra lá e pra cá com a mãe na cola gritando não-esquece-isso-não esquece-aquilo, sentei na sala pra ver tv.
No noticiário o cara disse que o baterista do Led Zeppelin estava morto. Eu tava começando a virar fã dos caras e o batera morre?
Os anos 80 estavam na minha cara e eu só tinha 15 anos.
Anos depois eu começaria a trabalhar e ter meu dinheirinho de office-boy, versão pedestre dos motoboys do século XXI. Claro, era uma micharia de nada, mas dava pro cineminha e os discos da coleção que estava crescendo. Nos anos 80 a gente não tinha nada e muita coisa estava surgindo, outras saindo das sombras do manto da ditadura. As primeiras edições da revista Roll estavam nas bancas com papel jornal e tiragem mínima. Parecia um fanzine de editora grande. Ou média. Numa das edições rolou uma matéria sobre os sebos de disco de São Paulo. Acho que foi a primeira vez que vi a palavra sebo sob tal contexto divino e maravilhoso. Falava muito da Eric Discos, em Pinheiros, era perto do trampo e meu pagamento ia ser naquela semana. Cara, com o cash cruzado novo fui lá pra ver qualéquiera das prateleiras mágicas.
Aquela estética punk de disco dos Sex Pistols fascina qualquer um. Tinha uma vitrine dentro da loja com raridade e super-raridades. Entre elas, tinha um Five Live Yardbirds picture! Pra quem não sabe, o picture era a capa impressa no vinil. Sim, os cds são assim, mas aquilo era bolachão. E porra, era o Yardbirds, a origem do Led Zeppelin!. Corri pro balcão pra perguntar pro moço quanto era aquilo.
Merda dura com areia, caga-osso, caga-crânio!
Aquilo valia meu salário de dois meses. E eu, com aquele 50% no bolso, fiquei babando na parada com cara de moai japa pobre merreca desiludido com toda minha vidinha de sarjeta e fliperama.
O moço do balcão viu minha cara de merda. Entendeu tudo. Não sei se era o Eric ou o Zé, mas ele entendeu tudo. Chamou de canto e mostrou um disco com uma capa de duas cores, quase uma xerox e falou te faço um preço jóia, é lançamento e os caras são independentes.
Era uma coletânea chamada Grito Suburbano, com Os Inocentes, Cólera e Olho Seco.
Peguei paguei e sumi, nunca mais voltei lá, nem nunca mais vi o picture, a merda do picture.
Cheguei em casa e botei a bolacha na chapa. O que eu sei é que tudo mudou pra sempre. Até hoje.

Nenhum comentário: