Mãe Pai e Filhos

Eu queria ter um filho chamado Gabriel
não por causa do anjo expulsador,
nem por causa das asas de condor,
mas por causa dos 100 anos da minha solidão.

Eu queria ter uma filha chamada Beatriz
não por causa do amor fiorentino de Dante
que visitou céu e inferno
e carregou a renúncia pelos labirintos
de um purgatório interno.

Mas a menina chamada Beatriz
seria tão feminina que seria
quase sinônimo de flor
ou ursinho polar em festa
de aurora boreal com cheiro de jasmim.

Um casal de Gabriel e Beatriz
para salvarem o mundo
e dizerem a todos que
o pai pretensioso escrevia sem rima
num jardim imaginário fincado
num escritório árido de vegetação.

O menino Gabriel dando voltas
como um cigano tonto puxando
elmos de guerreiros espanhóis
dos tempos dos reis devidamente divinos.

E da bola seria mestre
e dos meus sonhos,
realidade.

Um comentário:

Reis disse...

Pai pretensioso, mas que pra falar de Gabriel e Beatriz se vestiu de uma delicadeza sem ter fim.