A Porcaria K

- Se eu soubesse onde vendem dinamite, explodiria a casa dela - foi assim que ele me disse logo depois da garrafa de cerveja bater no balcao e o rapaz ir ate o outro extremo buscar o abridor.
- Mas to de boa. Espero a sogra ir buscar os pequenos e entro com isso aqui - e me mostrou um coldre preto na cintura, por baixo da jaqueta jeans puida.
O rapaz veio e abriu a loira. A gente queria Brahma, nao tinha, veio essa porcaria K. Se ele soubesse o que aconteceria naquele Natal naquela casa azul de esquina e que tudo estava sendo planejado aqui nesse metro quadrado, iria ate o inferno buscar a Brahma. E gelada, por deus.

3 comentários:

rnt disse...

O___o

irc.

_______________

aaaai, que carrins bunitins, quero um tomém :P

Dani (ela) disse...

"a Vida como ela é..."

Pan disse...

Brahma nem de graça, cara.