Ok it hell, Hello Kitty.


Esse é um dos pianos mais feios que já apareceram lá na oficina pra gente consertar ou dar uma garibada.
Primeiro que eu não gosto de piano branco. Coisa de Elton John ou Lennon e Yoko cantando Imagine. Sai fora, jacaré.
Depois, esse tem a cara da gatinha desbocada na tampa frontal. Que é isso? Falta de nhé.
O pior é que é um piano da casa, da Apollo. Mas tudo bem, essas coisas estranhas são fabricadas na filial de Shanghai, China.
Também tem a coisa da Hello Kitty ser uma gatinha do inferno. De que nasceu uma menina muda e a mãe desesperada fez um pacto com o diabo e ele disse óia dona, pra sua fia curar, a dona tem que criar um bonequinho que seja cultuado no mundo todo, mas que seja em louvor a mim, certo? Pronto, a dona desenhou um gatinho branco sem boca e dizem que em chinês Hello é diabo. Hell é o inferno e não é em chinês.
Resumindo, como esse piano escroto do Elton John foi fabricado na China e tem essa gatinha do diabo na tampa, não mexo nele.
Posso ser ateu, mas que las hay, hay.

Normas

O crime não compensa, tudo bem, mas no dia 21 de fevereiro de 2008 saiu no mundo todo que o Maluf tinha que devolver 700 milhões aos cofres públicos.
Uma das diferenças básicas entre o terceiro mundo e o primeiro é a rua. A rua no primeiro mundo é de todo mundo, todo mundo cuida, zela. No terceiro, não é de ninguém, cuspe, chiclete, pneu velho e merda do totó.
A rua é pública. Os cofres também.
Sabe quando ele vai devolver? Diz a norma que é no dia 7 de março de 2008. Diz.
Naturalmente, o crime não compensa pra quem não é criminoso, pedro bó.

A Veja torrou uma nota preta pra fazer uma capa preta com o perfil do Fidel e os dizeres: JÁ VAI TARDE. Isso é amor, minha preta.
Apesar de passar a maior parte da minha vida sendo um homem de esquerda, nunca gostei do que acontecia em Cuba, mesmo quando gente boa feito o Chico Buarque dizia que lá era legal. Mas o Chico tem cara de que tudo é legal. O Chico, eu e milhões de nós erramos ao votar na esquerda mais próxima. Faz parte. Pior seria votar errado na direita.
Nunca gostei do Fidel, mas sempre achei aquela foto do Che ducaray.
Enfim, concordo com a Veja, já vai tarde.

Nunca gostei de gente poderosa, com essa efemeridade subindo-lhe pela barriga até chegar no meio das idéias como se os culhões fossem de ouro.

Na minha cara de pau democrática, o Maluf e o Fidel são a mesma coisa. Diferente é quem já morreu, tipo o Henfil, Betinho e madre Tereza.

O Cavaleiro das Trevas ou Fulô aos Madruguetes


Tem o Clive Owen de mal humor.
Tem a Monica Bellucci semi-pronta.
Tem o Paul Giamatti infeliz.
Tem bala pra todo lado.
Um bebê
e diversão.
(Também porque faz tempo que eu não comento um filmim)
Parece a continuação de uma das 3 histórias do Sin City do Roberto Rodriguez e Frank Miller. É o Clive dando teco pra todo lado com uma puta gostosa do lado. Eles contra o mundo e com a nossa torcida. É praticamente o mesmo personagem.
Vale a pipoca com tabasco.

A origem


Tava indo pra aula e passei na casa do amigo pra irmos juntos. Enquanto ele corria pra lá e pra cá com a mãe na cola gritando não-esquece-isso-não esquece-aquilo, sentei na sala pra ver tv.
No noticiário o cara disse que o baterista do Led Zeppelin estava morto. Eu tava começando a virar fã dos caras e o batera morre?
Os anos 80 estavam na minha cara e eu só tinha 15 anos.
Anos depois eu começaria a trabalhar e ter meu dinheirinho de office-boy, versão pedestre dos motoboys do século XXI. Claro, era uma micharia de nada, mas dava pro cineminha e os discos da coleção que estava crescendo. Nos anos 80 a gente não tinha nada e muita coisa estava surgindo, outras saindo das sombras do manto da ditadura. As primeiras edições da revista Roll estavam nas bancas com papel jornal e tiragem mínima. Parecia um fanzine de editora grande. Ou média. Numa das edições rolou uma matéria sobre os sebos de disco de São Paulo. Acho que foi a primeira vez que vi a palavra sebo sob tal contexto divino e maravilhoso. Falava muito da Eric Discos, em Pinheiros, era perto do trampo e meu pagamento ia ser naquela semana. Cara, com o cash cruzado novo fui lá pra ver qualéquiera das prateleiras mágicas.
Aquela estética punk de disco dos Sex Pistols fascina qualquer um. Tinha uma vitrine dentro da loja com raridade e super-raridades. Entre elas, tinha um Five Live Yardbirds picture! Pra quem não sabe, o picture era a capa impressa no vinil. Sim, os cds são assim, mas aquilo era bolachão. E porra, era o Yardbirds, a origem do Led Zeppelin!. Corri pro balcão pra perguntar pro moço quanto era aquilo.
Merda dura com areia, caga-osso, caga-crânio!
Aquilo valia meu salário de dois meses. E eu, com aquele 50% no bolso, fiquei babando na parada com cara de moai japa pobre merreca desiludido com toda minha vidinha de sarjeta e fliperama.
O moço do balcão viu minha cara de merda. Entendeu tudo. Não sei se era o Eric ou o Zé, mas ele entendeu tudo. Chamou de canto e mostrou um disco com uma capa de duas cores, quase uma xerox e falou te faço um preço jóia, é lançamento e os caras são independentes.
Era uma coletânea chamada Grito Suburbano, com Os Inocentes, Cólera e Olho Seco.
Peguei paguei e sumi, nunca mais voltei lá, nem nunca mais vi o picture, a merda do picture.
Cheguei em casa e botei a bolacha na chapa. O que eu sei é que tudo mudou pra sempre. Até hoje.

A manga, a Havana, o Kosovo


As negociações iniciaram no governo Geisel. Se minha memória seqüelada não falha, o ministro Paulinelli deu o pontapé incial para exportar as nossas mangas coração-de-boi ao Japão.
O Geisel inventou a anistia ampla, geral e irrestrita. Depois veio o João Figueiredo que inventou o coice presidencial. Sarney não inventou nada, um incapaz. Collor, Itamar, FHC e finalmente o Lula consegue botar a manga nas prateleiras japonesas. 30 longos anos de puro blábláblá. O preço é de uma vitrine em Bruxelas ou Mônaco. Até eu ver essa manga, só devorávamos as cabrochas das Filipinas ou Tailândia, muito mais acessíveis ao bolso. Manga é manga em qualquer lugar, Bruxelas ou Hamamatsu. Só não dá pra assoviar e chupar manga. Ou cana? Qual é a frase do caroço? Do abacate? Definitivamente, perdi o pomar e o vernáculo.

A Havana de Fidel não é mais dele. A história acontecendo e eu querendo ir dormir. É a idade. Do Fidel, claro.

Em Kosovo, aquilo lá. O lance é que meu cunhado, amigo, brother, mano, parceiro está em Budapeste, Hungria. Qual a relação? Fronteira, meu chapa. Não importa se o incêndio é no apê do lado e não no seu. O fogo não perdoa paredes.

Hino de Duran



Se tu falas muitas palavras sutis
Se gostas de senhas, sussurros, ardis,
A lei tem ouvidos pra te delatar
Nas pedras do teu próprio lar.

Se trazes no bolso a contravenção
Muambas, baganas e nem um tostão
A lei te vigia, bandido infeliz
Com seus olhos de raios X.

Se vives nas sombras, frequentas porões,
Se tramas assaltos ou revoluções
A lei te procura amanhã de manhã
Com seu faro de doberman.

E se definitivamente a sociedade
só te tem desprezo e horror
E mesmo nas galeras és nocivo,
és um estorvo, és um tumor
A lei fecha o livro, te pregam na cruz,
depois chamam os urubus

Se pensas que burlas as normas penais
Insuflas agitas e gritas demais
A lei logo vai te abraçar, infrator
com seus braços de estivador.

Se pensas que pensas estás redondamente enganado
E como já disse o Dr Eiras,
vem chegando aí, junto com o delegado
pra te levar pra puta que o pariu.


(Chico Buarque & A Cor do Som - Ópera do Malandro)


Capão Quadrado

Você já comprou algum disco pela capa? Qual?
Esse aí faz uns 25 anos, ainda vinil, eu tava muito Bauhaus Smiths Talking Heads e queria comer morcego. Dei sorte, é muito bom e é um clássico sim.

13

Acordei cedo, mas não foi para ir trabalhar.
Foi para ir ao Consulado Itinerante resolver umas papeladas.
Papeladas é o jeito mais carinhoso que arrumamos para dizer essas porcariadas.
Burocracia numa quarta-feira 13.
Vomitemos, irmãos.

Trincando tiritando

Sabe quando tá um frio de rachar?
Hoje tá mais.

Tá de zueira, zuô

- É, zuô. Pirulito que bate bate e a gente engolindo essa onda midiática sobre as eleições ianques. Tudo é Obama ou Hillary. Meu travesseiro vai acabar sendo. Na tv as horas passam entre listras e estrelas azuis, brancas e vermelhas. O mundo aguarda o negão ou a patroa. O negão tem cara de ser gente boa, a patroa é corna, the great corna desde Jackeline Kennedy. Só que enquanto Jackie tinha charme (tinha?), essa tem cérebro (tem?).
Acho que vai dar a patroa. Eles não vão eleger um negão, eles não. Mas chega. Até ficar chamando o Bovino George de Bovino George me encheu. Eles estarão presentes num canto da sua tv digital, sempre. Eles querem o mundo, a via láctea, o buraco negro, a cauda do cometa. Eles só não querem te deixar em paz.

- Cartões de crédito para funcionários públicos do primeiro escalão.
Vou repetir:
Cartões de crédito para funcionários públicos do primeiro escalão.
Ora, vá afundar o país do vizinho, senhor Molusco.
O PAM já declarou em outra ocasião que a diferença entre crustáceos e moluscos está na bunda. Crustáceos têm a bunda dura, feito lagosta. Os moluscos têm bunda mole, feito polvo e lula. Ou o povo e... é isso.

- Na verdade, ao retornar ao Brasil depois de 10 anos, percebi que muita coisa tinha melhorado, inclusive o que havia de pior. Temos por característica sermos bons na ruindade.

- O Kfouri alertou: A cada pesquisa, a percentagem de gente que não gosta de futebol é maior que a soma das duas maiores torcidas (Timão e Flamengo). Nem isso, Jeová?

Peixes secos siameses


Segunda de manhã tava assoviando uma música chata do Vangelis enquanto arrumava uma tampa de um piano Yamaha. Passou um fiodiquenga japonês perto da minha mesa, ouviu e começou a gritar que não pode assoviar trabalhando. Gritando. Respondi que ele não tem nada a ver com a minha boca e pra que ficar gritando, não sabe conversar não? O idiota ficou macho. Perguntou meu nome. Apontei pro meu crachá pendurado na minha estante de tranqueiras de arrumar tampa de piano. Ele disse que eu tinha que usar o crachá no peito. Respondi que todo mundo me conhecia, menos ele e que nem ele tava usando aquela merda no peito. Ficou muito macho. Falou que ia chamar o meu chefe. Eu disse isso, vai lá chamar ele porque eu to ocupado agora e como você tá passeando por aí sem fazer nada pode aproveitar e ir lá chamar. Muito macho, o japa ficou muito macho. Foi embora bufando, a nega.
Até agora o fiodiquenga não veio com o meu chefe, mas eu contei o caso pro boss e ele disse que tudo bem, claro, evidente, é óbvio que pode assoviar, afinal ali é uma oficina de pianos. Pra quem me conhece sabe que toda vez que passo pelo japa machão assovio um fraseado de um chorinho bem cutucante, no tímpano da ferida do calo do fiodiquenga. Telecoteco no teu cu, mané.
No domingo anterior ao caso, vi esses peixes secos siameses num mercado, cliquei e achei muito feio pra ver, imagina pra comer. Hoje cheguei à conclusão que quem come essa porcaria fica com boca de siri, desaprende o assovio e fica enchendo o saco de que ainda cultiva o cantarolar sem versos.
Sim, meus papos andam gastronômicos.

Clara Crocodilo

Clara Crocodilo fugiu, Clara Crocodilo escapuliu!
Vê se tem vergonha na cara e ajuda Clara, seu canalha!
Olha o holofote no olho, sorte, você não passa de um repolho!

Onde andará Clara Crocodilo, onde andará?
Será que ela está roubando algum super-mercado?
Será que ela está assassinando alguma velhinha indefesa?
Será que ela está atrás da porta do seu quarto,
aguardando o momento oportuno
para assassiná-lo com seus entes queridos?
Ou será que ela está adormecida em sua mente,
esperando a ocasião propícia para despertar e descer
até seu coração, ouvinte hipócrita,
semelhante meu, meu irmão.

(Arrigo Barnabé e Banda Sabor de Veneno)
Gotan Project, um som duca.
- Nada a ver com o Batman, mano.

Desde o útero

Alguma coisa entre o pé direito e o pé esquerdo
Ora vejam é a minha sombra.
Sombra gorducha essa minha nossa senhora.
Alguma coisa irrelevante nessa sombra andante
Ora vejam sou eu.