Marmota em Mar Morto

Hoje de manha vi a foto da Marta e achei que era o Vesgo. Nao sao parecidos, nem eu to louco. Nao sao sosias, nem clones. Mas achei que uma era o outro.
Olhando bem, nao to tao doido assim., quem vota e' que sim. Alias, nunca a minha cidade esteve tao mal representada.

Em terra de cego, quem e' vesgo se elege?

Sofa

Esquizofrenia ao alcance de todos.
Esse sofa e' meu porque esta perdido em Berlim. Na verdade ganhei de presente da
Re que Ri de Santo Andre, o da borda do campo.
Mas nunca sentei num sofa em Berlim porque nunca la estive.
Seria Santo Andre um gandula de deus, dos jogos de Jesus e seus atletas? Nunca saberemos.

O sofa e' meu porque e' a minha cara e ainda vou fazer um assim. Yeah.

O Retorno

Apos mes e meio trampando no periodo noturno, das 19 horas e 7 da manha, volto ao padrao cristao de labuta e suor atras do pao, das 8 da manha ate as 5 da tarde.

Trampo noturno so pra pagao mesmo. E olha que os ateus deveria ter ferias anuais. Ano todo!

Chuva com cara de dois dias.

Os meninos comunistas ( Ou a crise de 1929 na semana passada, ontem e amanha)

Tem essa gente muito nova que nao sabe o que e' isso, essa velharia comunista e a antiguidade anarquista. Tem essa gente muito jovem que acredita que o paraiso na Terra e' essa manifestacao grotesca de liberdade chamada capitalismo. Tem gente velha tambem. Depois que associaram o capitalismo e a democracia num balaio ocidental politicamente correto, tudo ficou suspenso, flutuante, numa superficie rasa sem a profundidade necessaria e natural de uma coisa pensada, visceral.
Nao ha mais nenhuma ideologia e nao e' apenas uma constatacao midiatica e nostalgica. Nao ha o que pensar, nem nas letras de Alanis, Eddie Vedder, Caetano ou Bono Vox. Tudo ficou triste porque tiramos os pes do riacho e isso nao traduz um sentimento neo-hippie fantasioso e hipocrita, tiramos os pes do riacho porque eu o polui, voce, todos nos. O riacho de Caetano Veloso foi a metafora mais perfeita de um lugar bacana, do lugar bacana que o cara legal que um dia foi um menino maluquinho saltitante e sonhador como um bom comunista do seculo XX. Ora bolas, falo em ideologia, nao nesses sisudos carecas ditadores semi-analfabetos de humanidade. No more Mao, never more Albania, meu chapa.
A superficie rasa traduz a serenidade com que engolimos o prazer idoneo e honesto de sermos bem burrinhos. Nem inteiramente burros, mas burrinhos. Entregamos nossa utopia aos objetos alimentados pela tomada, esse em frente a mim, inclusive. A tecnologia solucionou o que todos poderosos queriam para a sociedade. O Grande Irmao e' o buraco da tomada.
Meu discurso niilista cai por terra quando ouco a musiquinha do meu Windows ligando. E foda-se. No fundo do meu caro - nao barato - umbigo ideologico esta um comunista que sabe que na pratica a vida, seja qual for, em que estado da materia for, e' uma merda feliz. Capitalista, comuna, tribal. Tudo finalmente fezes e natalino.
O prazer e' paradisiaco quando ouco o meu demiurgo anarquista gritar das profundezas da minha cachola:
- Nunca perdemos porque eles nunca venceram.

Ocio produtivo



Tem dia que a gente esta la no trampo e nao esta, parece que nunca esteve, que tudo nao passa de ilusao, um universo paralelo.

(Eu prefiro DC Comics por causa do Batman e Coringa, sempre achei que a Marvel e' que nao existe.
Ok, o Superman e' ridiculo e caiu do cavalo, o fato dele ser da DC e' mero acidente. A Marvel e' que e' o universo paralelo, percebe?)

Mas tem dias que nem a gente existe diante daquilo que costumam chamar de local de trabalho, essa farsa humana.
Da nisso. Um pedaco de pau, um canto de uma moldura que ia pro lixo, uma caneta ponta porosa e mais nada. Nada. So uns minutinhos de silencio, solidao e matematica: Quantos bonequinhos cabem aqui?
Otimo.

Sao varias

Hoje matei uma aranha que tinha uma caveira na bunda - na parte posterior. Medonha, rajada, astuta e morta. Nao tem conversa se o bicho curte ser peconhento e anda porai pelos meus locais, vira meleca na chinelada. Ja disse aqui na Estrovenga que ecologia e' conversa de comeco de seculo, que nunca senti alteracao na temperatura, que nao to nem ai com o Greenpeace, Ibama ou SOS Mata Atlantica. Nao jogo lixo na rua, so no dia que passa o caminhao. Nao tenho cachorro pra cagar na rua e eu sair recolhendo bosta. Nao jogo lixo da janela do carro, nao gosto de cidade suja, casa suja, vida suja. Faco o minimo e nao me preocupo se esse ou aquele bicho vai ser extinto. Nunca tive um apreco maior que o necessario por um urso polar, tartaruga marinha ou um pe de limao. Nunca tive uma cadeira ou mesa de jacaranda. Por isso, chinelo e esmago a aranha feiosa.

Anteontem acordei gordo. Todo mundo dizia que eu era gordinho e eu achava que as pessoas estavam delirando. Mas anteontem acordei gordo, me sentindo gordo.
Sai do trampo e fui comprar frutas, transar melhor minha alimentacao.
Depois de duas bananas, ja me sinto magro. Nessas horas a tentacao do chocolatra volta como uma continuacao de filme, cada vez pior, gaguejante, arrastado. Mas nao vou sucumbir e vou mostrar pra todo mundo que eu sou magro. Mesmo que seja so na minha cachola.

Sou sedentario. Odeio essa palavra, me sinto um cesar romano, um homem das cavernas que nao caca mais, que planta e colhe. Sou amante do controle remoto e do motor a gasolina. Gostaria de mais conforto, uns 10 milhoes de dolares, por exemplo. Mas enquanto deus desiste de mim e nao joga essa pacoteira no meu quintal, idealizo o controle remoto total. Tipo uns tres pores do sol por dia, ondas regulares numa praia com temperatura controlada e os tais poentes, caipirinhas geladas sem ressaca e rios de chocolate sem culpa.

To trampando pracas e no horario noturno, das 7 da noite as 7 da manha. Acho que enlouqueci, que vou virar um curupira do tempo. Ainda acho, por hora. Numa eventual certeza, me encontrem numa cancao bem triste do Chico Buarque, o ultimo reduto dos loucos por opcao.

Se for num inverno, Emily Dickinson me acolhera com xicaras de pouco cha, cobertores puidos e um olhar na minha alma que so os caes e as criancas tem. Vai ser uma merda.

Entopem o rato de margarina, ele morre e dizem que a trans faz mal. Lamber frieira, esses cientistas pervertidos nao querem, ne nao?

Mao de vaca sim senhor

Raramente empresto qualquer coisa.
Prefiro dar. Mas nao dou, tampouco.
Quando empresto um dvd, ele segue com manual de instrucoes anexo, com procedimentos necessarios para usufruto e diversao, coisas como pegar pelas bordas, pegar pelas bordas e pegar pelas bordas.
No manual tambem tem data para devolucao, sempre amanha, com rarissimas ressalvas.
Sou chato porque eu teria quase o dobro de cds se nao fossem os outros estarem com essa metade desse usucapiao indevido, despudorado e sem o menor swing rockinrou.
E tenho esse acervo de filmes porque te digo, nem ouse pedir emprestado porque e' capaz de eu ir pra assistir junto. Sem migo, so com carta de recomendacao do papa, baby.
Ah, livros? Conta outra.

Gilberto Nao Gil

Depois que virou funcionario publico em Brasilia, Gilberto Nao Gil resolveu burocratizar seu show em Nagoya.
O show que e' la pelas 4 da tarde, vai ter distribuicao de senha a partir das 8 da manha.
Show de atendimento do SUS, sr. ex-ministro?

7 de Setembro









Teve shamisen, samba, palhaco Meia-Sola, tudo antes do TP4 e Pato Fu e tudo foi duca.

7 de setembro, muvuca brazuca em Toyohashi, Aichi ken.

Dia da Patria
que o pariu.

Causo do pe do Monte Fuji 2

Tava dando na tv que ia passar um tufao, daqueles brabos, alias ele ja estava passando nas nossas cabecas. O Naka vinha trampar de moto e estava quase na hora de irmos embora. Ofereci uma carona. Ele ficou preocupado com o dia seguinte, como voltaria. Eu disse te levo, evidentemente, te trago. Ok. Entramos no carro e o transito estava mais intenso que o normal. Durante todo o tempo em que trabalhamos juntos, ele era bastante curioso quanto as coisas do Brasil, a natureza, as cidades, costumes. Naquela semana eu tinha comprado um cd com um best of do Martinho da Vila, sambas de morro, partido alto e jongos. Falavamos da chuva, das catastrofes naturais, das pessoas na chuva quando comecou a tocar Madalena no som do carro. O Naka parou, franziu os olhos e prestou atencao naquilo que ele nao fazia ideia do que era, o que significava. Ele perguntou quem era. Mostrei o cd com o Martinho e aquele sorriso do tamanho do mundo. Ele perguntou se aquilo era samba. Eu disse sim. Ele disse que tinha ouvido samba numa propaganda de tv, eu disse que aquilo nao era samba, era outra coisa, mas nao samba. Ele pediu pra repetir Madalena. Ele nao queria nem saber de Martinho, Vila Isabel, Noel ou sociologia musical, queria ouvir Madalena. Ouvimos Madalena entre aquele ponto inicial da catarse musical no japones ate a casa dele, dava uns 6 km, com transito de chuva e na hora do rush. Acabei dando o cd pro cara. Toma, leva. Ele pirou.
No dia seguinte passei la pra pegar ele e irmos trabalhar. Ele trouxe o cd. Escutamos Madalena de novo. E Madalena e Madalena e Madalena. Tentei mostrar Canta, Canta Minha Gente ou Vestibular ou Devagarinho. Que nada, o lance era e para sempre foi e sera, Madalena. Chegamos no servico, ele apertou o eject do cd player e levou seu trofeu.
Aos poucos fui ensinando a letra e traduzindo. Veja so, e' uma cancao de amor, retrucou. Ele disse que so nao colocava o nome de Madalena numa filha porque era um nome muito comprido pros padroes japoneses, mas poria num cachorro. Eu disse que Madalena era uma mulher de Magdala, amiga de Jesus e tal. Uma mulher. Ele disse que a Madalena era dele e o cachorro tambem.
Nao teve um cachorro porque o filho ou a filha tinha alergia a pelugem animal, coisa assim. Mas acredito que la dentro daquela casa em Kamoe ha um peixe dourado chamado Madalena.
Ando trabalhando demais e isso me distancia daqui.

Ando trabalhando naos significa que trabalho andando o que aumentaria substancialmente a distancia.

A gente faz o que phode.

O Clube de Leitura de Jane Austen (2007)


E' bonitinho.
Diretora estreante - o que da um charme extra por ser diretora e por ser estreante - elenco afiado, bem escrito.
O roteiro e' dela tambem, filme de autor, sabe cume quie.
A sequencia incial, a metafora da vida moderna, easy, massa. A trilha sonora nessas horas e' tudo mesmo.
E o filme e' simples como um livro.

Pato Pop Full

Tava lendo e ta a maior briga pros ingressos do show da Madonna made in Brazil. Uau.

Na faixa e muito bacana vai ser o show do Pato Fu em Toyohashi, aqui do lado, domingo que vem.

Espero que a Fernandinha Takai cante Insensatez como no arranjo do disco tributo a Nara Leao, que por si so, ja vale uns 3 ingressos da Madonna.

E tem Trash Pour Four na mesma tarde ensolarada, de lambuja.

Madonna, Pato Fu, Fernandinha, TP4... eita mundo bonito sem porteira, so!

Cardumes

Nem um cheirinho diferente,
arenque, salmao ou bacalhau.

Horas contadas fatiadas filigramas
de moleculas de mortadela as horas
agora nao.

Avenidas concentricas onde todos
nadam na mesma direcao sem que o caos
perene exploda em gargalhadas e motores desligados.

Mas que pena.