Tola, vida tola (Nimim)


Nesses dias fiquei pensando em mim. Nao dessa forma psicanalitica ou com auto-censura ou fazer jogos de imagens e espelhos. So pensar nimim. Assim dando start no nome Nei e fazer um historico rapido de alguns dias, depois meses, anos.
Nada a ver com relacionamentos, amigos familiares, conhecidos, desconhecidos, motoristas de onibus, condutores de trem, transeuntes, pedestres. O cara do carro preto do lado. Ninguem, so pensar em mim. E pior, nimim.
Pensar self dentro do umbigo e jogar as pessoas ao redor num enredo facil do ate hoje sempre da margem as culpas, anseios, angustias, palavras ditas, nao ditas, dividas emocionais, carencias toscas e outras sofisticadas. Nada disso, so o nimim.
E conclui, entre virtudes e defeitos adquiridos, comprados, imitados e bem vindos que nao sou esse doidao que pintam e que me pinto.
Sou e' bem besta. Dos bons, porem.

Um comentário:

Abel disse...

Do lado de cá da pele raciocínio aflito e zumbidos no ouvido interno. Do lado de lá vai o multimundo holográfico (qual é mesmo o prefixo de holografia que nos provoca reações sensitivas?) do praneta Bateassopra. Levando dimim e trazendo Eva pramim.