Felicidade, sim

Deprimido. Down. Baixo astral. Depressão. As pessoas gostam dessas palavras. Parece que é fácil identificar alguém assim. Parece que tudo se resume em estar assim ou não estar assim. As formulas mágicas aparecem em todos lugares na forma de exercícios físicos, alimentos ricos em proteínas tais e carboidratos outros, em colunas de psicanalistas em revistas de todos os gêneros, cartas dos leitores, terapias baseadas em misticismos tão antigos e remotos que não existem mais – ou nunca existiram.
Eu acho que todo mundo está triste. Com a tecnologia se apropriando de tudo e todos, sobram poucos espaços humanos, simiescos, mamíferos, viscerais.
Não estou querendo um retorno aos dias de índio ou a cabaninha de Tarzan, mas a angustia que carregamos no nosso progresso interno, externo e social, junto com a família, o bairro, o mundo, a civilização, é inevitável.
Mas as pessoas gostam dessas palavras que dão cores insípidas a alma.
O melhor mesmo é ir dar uma corridinha. Falaram na revista.

2 comentários:

Kenia Mello disse...

Correr ajuda, não pensar ajuda, chorar ajuda, tanta coisa ajuda e nada ajuda, ao mesmo tempo.
Beijos.

LuMa disse...

Sei o que é isso. E aí o médico te manda embora com a receita de aspirina para a casa... Basta pouco para uma recaída - ler jornais, por exemplo - e então recomeça a auto-quarentena social por algumas semanas.