Bastões de algodão

Tomar banho. A vida resume-se a tomar um banho.
Acordar, levantar, sair de casa,
passar o dia inteiro fora de casa e voltar.
Na volta, tudo melhora depois do banho e
todos os elementos do banho,
os vapores, cheiros, cores.

Água passando pelo corpo.
A vida melhora depois do banho.

Mas nada disso teria importância se não fossem os cotonetes.
Cutucar a zoreba com os bastões
são o clímax de um dia vivido para os outros,
as responsabilidades alheias,
indecisões, satisfações, melhorias.

Os cotonetes são um dos grandes ícones da vida pós-industrial.

4 comentários:

LuMa disse...

Bom, e se esse banho for num 'ofurô', então bota mais uns elementinhos essenciais da vida pós-industrial: um copinho de água direto da geladeira após o banho; um par de pantufas de lã sintética (mas mais quentinha que de origem animal) e me sentar diante do pc e abrir a janela para o mundo :)

Ah, mas tem um acessório incômodo algumas horas depois: o fatídico despertador!

Kenia Mello disse...

Cotonetes nas zurêia todo dia não faz bem, não, vi?
Beijos.

Punksauro Nei disse...

Ce que pensa!

Dani (ela) disse...

\o/ adooroo!

*mas não todo dia.