Oito e oitenta

Nesse feriado prolongado fui a um outlet na cidade de Gotemba. Chama-se Gotemba Premium Outlets e tem todas as marcas que fazem algumas avenidas ficarem com os imóveis inflacionados. É uma Daslu ao ar livre – apesar de que nunca estive naslu.
No dia 2 de janeiro eles fazem uma queima de estoque. Coisas de 50 a 70% de desconto.
Não, não comprei nada. Sou fiel a algumas marcas que não existem em outlets: All Star Converse, Fender Guitar, Cia das Letras, Dell, Apollo Piano.
Mas quando você entra numa loja Prada e vê uma bolsa Prada, o valor real, o valor de desconto e olha ao redor, você realmente acredita que o diabo veste Prada. Eu nunca tinha visto uma dessas ao vivo. Mas que qualidade, hein?
Paguei de babão num terno Armani. Lindo, corte supremo, fuderoso.
Gostaria de ter uma cultura elegante e italiana ao me vestir. Não rola. As minhas camisetas pretas de bandas de rock ainda são imbatíveis.
Esse foi um dia oito.

Hoje foi o dia oitenta. Acabei de vir do Minami Hospital de Hamamatsu, fui visitar o Takashi, fera em pianos de cauda, um jovem luthier que esta com a gripe suína.
Mil peripécias. Tive que preencher uma ficha cadastral para entrar na ala isolada, no quarto individual. Máscara, mãos lavadas com álcool. Faça uma visita breve, ela disse. Na saída, jogar a máscara num lixo sob supervisão da enfermeira, mais spray de álcool nas mãos, horário de entrada e saída marcados.
Levei uma Rolling Stone japonesa pro cara. Ele curte.

Um comentário:

LuMa disse...

Nei, putz, estou em estado de coma e não consigo sair dele,rs... E pra variar, hoje é feriado! Sabe o urso que está saindo da hibernação?

Ah, o diabo veste Dolce Gabbana, Prada, Armani e mil outras grifes, sim. Eles fazem promoções de 50%, mas ainda assim custa o olho da cara. Os tempos estão mais para Made in China mesmo, acredite!