Na curva

A gente se prende a pedaços de plástico espalhados pela vida. Tem o plástico do controle remoto, o chaveiro do Batman, o mouse, a capinha do mp3, a caneta, cd, sacolinha, pé da cadeira giratória, teclado, escova de dente e tampa de xampu.
Tem muito mais coisas, mas nada disso importa tanto, de fato.
É fácil, depois de listar alguns itens, dizer que era apenas a ilustração da futilidade contemporânea. E nem é tão fútil assim. A capinha do mp3, não. Nem a escova de dente. Sim, a caneta talvez.
Algumas pessoas arrotam porque não estão nem ai.
E isso nos basta. Somos felizes mesmo não sendo.

2 comentários:

LuMa disse...

Cacarecos, cacarecos, cacarecos e cacarecos.

Imersão em cacarecos é o quadro que pintaria pra retratar cacareco contemporâneo,rs.

Lamps disse...

Se a gente se prendesse somente aos plásticos...
Bjo bjo