Gente boa

Reencontrei muita gente de dois anos pra cá. Gente brasileira virtual, gente brasileira que voltou ao Japão, gente japonesa que nunca foi.
Gente é bom, nunca em demasia, mas gente, gente que Caetano cantou.
Todos que reencontrei estão bem e na sua forma e solução, no passo a passo que nem percebem, percebemos, mas ai estão – e sempre.
A ressalva, a exceção à regra, o porém do ensolarado piquenique existe.
Tem a euforia do tapa no bamba e depois vem a lombra, aquele pequeno intermezzo com bocejos e um cochilo acenando.
Um desses reencontros deu-se assim.
Uma pena, a pessoa numa lombra densa e sonífera.
Mas ele esta lá, firme, convicto, para sempre assim. Há mais de vinte anos assim.
Sim, ele pode, todos podem.

Nenhum comentário: