Com Iggy Pop e Valderrama num pires


Sempre que escrevo, leio, falo, cito ou a palavra ALIEN aparece na minha frente na janela do carro em alta velocidade, lembro da música "The Passenger", do Iggy Pop.
Isso porque o título do primeiro filmaço da trilogia de quatro com a Sigourney Weaver ficou com o título em brasileirês de "Alien, o Oitavo Passageiro".
Há o fato de que o Iggy Pop, de humano, só tem o rock'n'roll.

Não acredito em discões voadores turbinados, total flex, câmbio automático, trio elétrico e GPS zuando em trigais britânicos. Nunca fazem mandalas gigantes em arrozais japoneses, chineses ou tailandeses.
Se fizerem isso num arrozal nos arredores de Osaka, a universidade local ou a Panasonic vão inventar um sensor-de-boas-vindas-para-honoráveis-pessoas-do-espaço.
Extraterrestre em japonês é utchiu jin, na verdade, pessoa do espaço, gente do espaço.
Se a Panasonic ou a Universidade de Osaka inventarem as boas vindas, é capaz da Sony ou a Universidade de Tokyo inventarem o repelente baseado no repelente para mosquitos, aquela espiral fedorenta que sempre me remete à longínqua e distante infância na Praia Grande.

Assim como a USP e a PUC ficam de birra pelos cantos (acadêmicos, políticos e eruditos cantos), as universidades japonesas também têm dessas coisinhas. Hoje em dia, com toda essa tecnologia ao redor das comunicações e informações, deve ser como um chove não molha de moçoilas nos bancos das pracinhas com coretos.
Aliás, ets nunca abduzem coretos e around. Abduzem buscapés de enxada na mão. Boy de diesel e gatinha de tranças, no way.

Aliens não têm criatividade. Cada vez me convenço mais de que a arte é coisa de gente gente. Aliens, fazem bolas, abduzem caipiras malucos solitários e nunca pousam ou passam em riste por muvucas.
Rave. Alien numa rave ou num rodeio. Alien numa rave e num rodeio. Bom, isso já rola, acho.
Feira de automóvel, domingo, Anhembi, São Paulo. Alien por ali, trocando figurinha com aquele dono daquela Rural toda original, falando de carburador com o gordinho do Karmann Ghia ou pintura aerográfica e tunning com a gata do Porsche pink-Hello Kitty-no-capô.
Oh! Yeah! Alien no Maracanã, em Port Elizabeth, brasileirão, no paulistinha, campeão dos campeões. Alien de patrocinador colado no peito à bunda.
A Copa do Mundo já está na porta. Nunca mais vai ter um Valderrama, aquele meia da Colômbia.
Então esqueçam, essa copa vai ser bem humana e chinfrim, previsível como nuvens no céu, num céu sem pires, pratos, cds ou vinis voadores.

Um comentário:

Taty disse...

Alien na arquibancada torcendo sei lá pra quem rsn Ou aprendendo a jogar futebol... Como seria jogar futebol no espaço? :P