Panis etc Circences

Com a Espanha campeã de 2010, o fim da Copa, da farra, com o acumulo de materiais verde-amarelos, fica a esperança para 2014.

Em toda Copa que a seleção é derrotada é assim, pululam as propagandas dos patrocinadores da equipe derrotada jogando a esperança para daqui a quatro anos porque ninguém é bobo, nem publicitario.

Mas não temos nenhum estádio com o “habite-se” da FIFA. Nem São Paulo, a maior cidade da América Latina o tem. Não temos aeroportos competentes, vias férreas (quanto mais trens-bala), transportes urbanos, rede hoteleira, nada.

Como para a Copa do Chile em 1962 que sofrera em 1960 um terremoto na escala 9.5 da escala Richter, também temos que dizer “Porque nada tenemos, lo haremos todo”, que virou o slogan extra oficial daquela competição.

Isso denota um sentimento muito interessante. Parece-me que faremos uma nação para uma festa esportiva e não para morarmos, vivermos, cuidarmos de nossas vidas, como devem ser os lugares que escolhemos para sentarmos a bunda. Como todos os grandes eventos internacionais que vez por outra sediamos, mais uma vez maquiaremos o país e o cobriremos de plumas, paetês e batucada.

Acabada a Copa de 2014, teremos as Olimpíadas (porque se escreve no plural se é apenas uma de cada vez?) de 2016. E para tal faremos mais batucada, batucada e batucada.

Quanto ao acumulo de materiais verde-amarelos, podem ser usados nas campanhas politicas que estao na porta. Ou doar para mais alguma mazela "natural" que sempre desabriga milhares. Todo ano tem.

Aliás, terá sido coincidencia marcarem eleições presidenciais para anos de Copa?

Nenhum comentário: