Homem e mulher considerados os mais velhos de Tokyo podem estar mortos

Tudo começou na semana passada, quando funcionários do distrito de Adachi, em Tokyo, descobriram supostos restos de Sogen Kato, nascido em 1899, considerado o homem mais velho da capital japonesa. Os restos foram encontradaos na casa de Kato.

Embora os registros municipais indicassem que estaria vivo, os funcionários acreditam que Kato tenha morrido a mais de 30 anos. Na casa dele foram encontrados jornais cuja data mais recente era de 5 de novembro de 1978.

A polícia suspeita que a família do idoso não comunicou a morte para continuar recebendo a pensão.

Periodicamente as prefeituras japonesas visitam a casa dos idosos do país para terem certeza que estão vivos e recebendo as pensões. A atividade é uma ordem do Ministério da Saúde.
Após o caso Kato, foi informado que a suposta mulher mais velha da capital japonesa, Fusa Furuya, nascida em 1897, estaria desaparecida.

Na sexta-feira (30), funcionários do distrito de Suginami visitaram a casa dela, mas não acharam a mulher, informou a agênica Kyodo.

A filha mais velha, de 79 anos de idade e que reside na casa, assegurou que não via a mãe há duas décadas, e que achava que ela vivia com o filho há 40 anos.

Segundo estatísticas do Ministério do Trabalho, Saúde e Bem-estar Social, até setembro de 2009, viviam no Japão mais de 40 mil pessoas com cerca de 100 anos de idade.

Em 2005 foi descoberto que uma mulher de Tokyo com cerca de 110 anos de idade estava desaparecida há quatro décadas.

Segundo a Kyodo, na mesma época foi descoberto que pelo menos 52 supostos centenários estavam desaparecidos ou tinham morrido, sem que as autoridades tivessem tomado conhecimento disso.

O Japão é um dos países com maior expectativa de vida do mundo, especialmente no caso das mulheres. Entre elas a média é de 86,44 anos, a maior do mundo, enquanto entre os homens é de 79,59 anos.

Deu na IPC Digital

Nenhum comentário: