O recado

Quando alguém diz que é contra alguma coisa só porque não entende as diferenças que ali estão, é fácil de lidar, é só uma questão de opinião.

O problema é acharem que podem transformar a diferença numa igualdade palpável, como se a sua verdade coubesse nessa situação.

Todo mundo quer que todo mundo se veja pelos seus próprios olhos. Assim é fácil.

Geralmente os fúteis, os religiosos fundamentalistas e os perdidos querem destruir as minorias. E as minorias, que na verdade fazem toda maioria, não estão nem ai, só querem continuar provando e sorvendo de sua frágil e incontestável felicidade de ser.

Mas dizem que há liberdade de expressão. Concordo. Mas nunca para fomentar ódio e descompasso histórico, mental e emocional nas pessoas, nos grupos de pessoas.

Tão simples como ética na fila.

É melhor calar-se.

Quem cala consente.

Quem cala também se descontenta. Mas não distribui tal descontentamento em nome dessa verdade, dessa ideologia da transformação com ambições puristas e cheias de palavras de ordem.

Não existe felicidade maior do que a felicidade por si só, pessoal ou alheia, é de todos, é nossa, compartilhada, multiplicada.

Se matar um único homem é matar toda a humanidade, em contrapartida, deixar viver é viver.

E felicidade não tem só uma. Tem todas as opções, povos, cores, sexos, amores e ideologias.

E viva Lou Reed.

E viva Laurie Anderson.

Um comentário:

rnt disse...

off: tu conseguiu configurar o icone na lateral da navbar? ando offline todavida... qquer coisa, grita!
bjo