Goiânia sem Bandeira


A única Bandeira de Goiânia


Hoje uma leitora de Manuel Bandeira me escreveu um email pedindo um poema (À Beira D'Água) através e por causa do blog só com poesias do autor. Deve ser para algum trabalho acadêmico.

Dei uma olhada no índice do livro "Poesias Reunidas - Estrela da Vida Inteira" e não encontrei. Acredito que seja o sono. Amanhã faço tudo isso de novo com mais cuidado.

O que me intrigou é que ela me disse que andou por Goiânia inteira e não achou nem o livro e nem o poema.

Volto a repetir que o Brasil tem mais farmácias que livrarias, bibliotecas e locais para leitura e que isso está virando uma doença que não há droga que cure.

4 comentários:

Nyuara disse...

Você está certo!
Talvez não tenhamos tantas livrarias quanto deveríamos ter, pois não lemos como deveríamos ler.
A leitura nos deixa tão perto das palavras que findamos por unir-nos a elas em uma sintonia que pode aquietar as almas e curar os corações. Um abraço!

rnt disse...

Nei, tah no seu blog mesmo, alá:
http://poemasdebandeira.blogspot.com/2007/10/beira-dgua.html

bjo bjo

Gustavo disse...

falta farmácia no meu bairro, mas posto de gasolina tem de sobra.
foda.

Nei kS disse...

Podiscreuza, Re.

Cego quem tem olho é rei.