Blue

Dias tristes estão por fora,
estão por dentro e abraçam as sombras
feito guarda-chuvas sem sutilezas.

Dias tristes estão nublados
e não se contentam e caem chuvosos
numa tempestade que não convém.

Voadora

Se por acaso você ver uma tartaruga voando,
Não pense que ser Ésquilo o faz imortal
e não meta a cabeça embaixo,
esperando ela lhe atordoar.

Se a tartaruga estiver realmente voando,
pense que é uma pedra com pernas, asas,
uma pedra verde que respira
e sente fome.

Ou isso, ou aquilo:

- As tuas raízes estão tão fincadas
no solo enquanto tartarugas voam
diante de seu confortável domingo,

carro lavando, panela chiando, tv gritando
gerúndios redondos descendo quadrado

ou voar é com as tartarugas
e as suposições são todas cabíveis
e nunca estão só.

- Abre uma gelada e voa
free for fun
com seu jabuti alado.

Bom bom

Açúcar cristal.
Gordura vegetal hidrogenada, farinha de trigo,
Castanha de caju, massa de cacau,
Manteiga de cacau, soro de leite em pó integral,
Farinha de soja, amendoim, leite em pó desnatado,
Óleo de soja, gema de ovos em pó,
Gordura de manteiga desidratada, amido de milho,
Avelãs, estabilizantes, leticina de soja e
poliglicerol polirricinoleato,
Fermento químico, bicarbonato de sódio e aromatizante. Contém glúten.

Creiam-me, isto é um sonho de valsa.

O Haiti é aqui e está por aí

1500 pessoas já morreram de cólera no Haiti. Muitos na fila.

Se fosse um país independente, a comunidade brasileira no Japão teria, proporcionalmente, a medalha de ouro em soropositivos e infectados pelo vírus da AIDS. Seria o país com mais doentes por essa doença.

A Coreia do Norte, que independente de posição política ou situação financeira, é o mesmo país que a Coreia do Sul, bombardeou uma ilhota com 1000 habitantes da Coreia do Sul. É como um tiro no pé. E dizem, eles têm A bomba.

A cidade do Rio de Janeiro está em guerra civil.

Guerra, guerras. Guerra contra a vida, guerra contra a morte.

Acho que o Tiririca estava errado, pior que tá, fica.

Tomara que sim

E então o cabeção maiorial da ONU - que é sul coreano - ligou para o cabeçaço ultra máximo do PC chinês - que é chinês - e disse:

- Olha aqui, se você não der jeito no teu filhote norte coreano, ninguém mais compra traquitana chinesa!

(Mas diga lá, quem resiste a uma camiseta que encolhe até com umidade relativa do ar - por exemplo?)

Comunas do Além Mar


Regimes comunistas são formados por umas bestas quadradas. Nenhum dos países que adotaram tal sistema podem ser considerados bem sucedidos. E isso não quer dizer a Disneylândia a cada esquina para o camarada proletário, mas um pouco de coerência - ainda que capitalista.

Já fui membro de um partido comunista brasileiro, um dos dois históricos PCB ou PC do B, não lembro qual, faz muito tempo.
Juro, não lembro mesmo. Só fui lá uma vez, no dia que preenchi uma ficha de filiação. Depois ficaram mandando panfletos pelo correio, até que desistiram. Eu já tinha desistido deles muito antes.

Ter amigos comunistas é outra coisa e eles não são ou eram bestas quadradas. Os amigos comunistas prezavam por serem despojados na estética. Isso é um modo simpático e educado de dizer que nunca tinham grana e vestiam-se mal.
Todos, inclusive eu, sonhavam com um mundo melhor. Não sei se mais charmoso ou sofisticado, mas melhorado. Nunca consegui concluir essa idéia de um mundo melhor. Acho os Testemunha de Jeová melhores nesse sentido, pelo menos eles sabem o que querem e o que não querem. Querem carro zero na garagem, mas transfusão de sangue, por exemplo, não querem.

O engraçado é que os países comunistas adoram e adotam a rodo e a bala a pena de morte. Meus amigos comunistas brasileiros não concordam com isso. Eu também não.

Naqueles tempos, depois que li "Porcos com Asas", achei que jovens comunistas italianos e jovens comunistas brasileiros tinham pouca coisa em comum. O jovem comunista italiano tinha uma força política e intelectual mais arrojada e consistente. A maioria de nós do socialismo moreno queríamos mudanças, na verdade, queríamos qualquer coisa, menos o presidente Sarney e o ministro Maíson da Nóbrega no poder.

Quando o comunismo era uma coisa juvenil, utópica e defendida entre goles de chope, tudo se completava e íamos dormir tranqüilos. Mas quando uma besta quadrada feito o presidente norte-coreano manda atirar numa ilha sul-coreana depois de admitir que tem mais uma usina nuclear, é de se pensar. Principamente quando é possível avistar o sul da península coreana além mar, de um ponto específico da província japonesa de Yamaguchi. Tudo muito próximo.
Eles já dispararam um míssil que cruzou o céu do Japão e caiu no Oceano Pacífico. Dizem que foi um lançamento de satélite. O presidente norte coreano leva a sério esses assuntos de boa vizinhança, principalmente quando ele é daqueles vizinhos que tem três rottweilers, um muro baixo e fama de cachaceiro.

Minhas Mães e Meu Pai (2010)


O casal gay Nic (Annette Bening) e Jules (Julianne Moore) têm um relacionameno estável até que seus filhos resolvem ligar para o banco de esperma - de onde foram gerados - para saberem do pai biológico. Excelente idéia num filmão onde todo mundo deu um baile de interpretação e profissionalismo.
Dizem que foi um tapa na cara dos liberais californianos que começaram a mostrar sua verdadeira face conservadora nos últimos anos com muitas uniões gays mantendo-se estáveis e duradouras onde os mesmos tais liberais de fachada achavam que seria mero modismo. Também fica claro que certos problemas de relacionamento não são hetero ou homo, são apenas problemas humanos.
O que também é evidente é que o cinema americano precisa do Festival de Sundance e de seus produtores e diretores independentes até que Hollywood os engula. E quase todos são e querem ser engolidos.

O papa defende o uso de camisinha para não contrair aids.












Usou, gostou e pediu bis?

Titia Macca

Tem a titia Jagger, então tem a titia Macca - que é o Paul.
Pois é, o Paul. Ele está no Brasil para encher o Morumbi. E vai lotar. Alguns amigos estão muito felizes porque conseguiram comprar ingressos para vê-lo cantar antigos sucessos, como faz há décadas.
Infelizmente, não gosto do compositor, do roqueiro e da cara dele. Muita gente que me conhece faz tempo não sabia dessa. Nunca me importei em dizer isso.
Cada um dos quatro caras da banda, isoladamente, não são, não foram nada, a banda acabou, eles acabaram. John Lennon, apesar de se casar com mulher feia, foi o que se deu bem, lançou discos aqui, acolá, escreveu "Imagine" para alegria dos supermercados, sumiu, voltou a compor e foi assassinado. Nada mais irônico, trágico. Das canções dos Beatles, gosto dos rocks de John. A minha favorita é "Tomorrow Never Knows", do álbum Revolver.
Dizem que titia Macca compôs grandes canções e foi mentor de grandes discos dos Beatles, como o Sgt. Peppers. Pode ser. Mas tais discos não seriam nada se não fosse a presença dos outros três, tão protagonistas quanto ele. Isoladamente, toda a discografia do The Wings não sobreviveu à sua própria mediocridade e absentismo.
Os caras eram uma espécie de célula que não consegue sobreviver sem todas suas partes completas e as partes não conseguem sobreviver sem a célula. E é isso que faz eles serem especiais e imortais.
Há muitos anos eu me perguntava porque as bandas de rock terminavam. Anos depois descobri que elas terminavam para serem escutadas para sempre, igual ao Paul tocando as mesmas coisas desde que eu tinha Autorama Estrela.

Claro que é implicância. Ele pode ter passado por poucas e boas: viuvez, prisão no Japão por porte de maconha, virar cavaleiro da Rainha, perder o direito sobre suas próprias canções para Michael Jackson, golpe do baú de ex-modelo perneta malandrinha, um monte. Mas não gosto dele não.

Nas entrelinhas microchípicas

Foto tirada pelo Gil de um velho pc que ficou muito velho.

Eu pedi pra ele arrumar, mas não teve jeito.
Aí ele voltou pra casa e escrevi isso.
E aí voltou pro Gil que o desmontou, muitos meses depois.
Antes, porém, teve essa surpresa - que eu nem lembrava.

Selos


Foi a Edna, o Maumau e a primita Rachel que mandaram.
Foi o jeito que achei - achamos - de ter um pedaço dessa grandeza centenária por perto.
Nesse pedacinho de papel cabe toda a emoção sem fim dessa Nação de loucos.
Não é todo dia que se comemora uma história que em que a gente faz questão de fazer parte.

Bater um fio pra Roland* pra reclamar

A Roland* é uma empresa japonesa que faz instrumentos eletrônicos, entre os quais maravilhosos samplers de baterias, percussão, metais, guitarras, vozes, yeah!

Mas falta a paulada do maracatu, assim pronto, no piloto automático. Tem que montar, contar compassos, tempo, essas alquimias.

Mas o maracatu não tem teoria que lhe caiba.
O maracatu está além do fractal. É uma força da natureza retumbando sem dó.

A palavra pernambuco é uma paulada nas idéias, assim no sentido hiper-rítmico de conceber música com suor, mãos batendo e sorrisos.

Que deuses tenham Chico Science por arauto.

Então tá


Mui. Muitas. Muitas pessoas não conhecem música sem percussão. Não.
Mui. Muitas. Muitas pessoas não conhecem música sem percussão. Não.
Mui. Muitas. Muitas pessoas não conhecem música sem percussão. Não.
Mui. Muitas. Muitas pessoas não conhecem música sem percussão. Não.
Mui. Muitas. Muitas pessoas não conhecem música sem percussão. Não.
Mui. Muitas. Muitas pessoas não conhecem música sem percussão. Não.
Mui. Muitas. Muitas pessoas não conhecem música sem percussão. Não.

Happy Hour


Quase todo dia, depois das cinco, a gente se reúne para fazer uma jam. Instrumento não falta, afinal, restauramos pianos. Mas Kambe e eu levamos nossos violões, além de um baixo, acordeon e uma mini bateria. De vez em quando levo minha guitarra. Já deixei um ampli sobressalente por lá pra facilitar.

Ontem estávamos fazendo improvisações bluesy com piano e violão, Takashi e eu. Quando ele começou a solar no piano, iniciei um batuque no violão, imaginei que ia soar algo ao redor de Jorge Benjor, com um meia-cauda Steinway tentando soar honky tonk e os meus dedos cutucando a caixa do violão.
De repente, ele parou de solar e disse com as mãos postas feito "O Grito", de Munch:

- O que é isso? Isso é fantástico! - todo o diálogo em japonês.
- Isso é samba.
- Puxa, nunca ouvi isso ao vivo!

E então, fui numa tecla Lá e fiz "Samba de Uma Nota Só", do Jobim. Ele disse que conhecia Jobim da versão dos jazzistas, mas que não tinha ouvido com o suingue de um dedo brasileiro, numa única nota, assim, ao vivo.
E então, tentou. Tentou de novo. Mais uma vez. Não rolou. Ele não conseguiu tocar um único compasso com uma única nota por causa da divisão rítmica ser absolutamente incompreensível para ele e outros gringos. Expliquei João Gilberto e os 1 minuto e 58 segundos de "Chega de Saudade" e como isso mudou toda a perspectiva da música ocidental. A mim, eu disse, João e um violão estão à frente de uma bateria de escola de samba, como se ele compartimentasse e resumisse tudo naquela singeleza, no absoluto respeito e equilibrio entre som e silêncio.

- Você tem cd de bossa nova?
- Muitos!

Outro dia assisti ao vídeo da canção "Ruta de Colisión", de Fernando Cea Nuñez e percebi o quanto a nossa mão direita conta pontos ao tocarmos violão ou guitarra. O quanto isso é natural para nós, pois ouvimos isso desde crianças.
Houve uma ocasião num bar em Madrid, com o Cea e um amigo americano e ele não acreditou que eu estava batucando samba na mesa. ele disse:

- Nunca imaginei que fosse ver um japonês tocando samba!
- Mas ele não é japonês. Ele é brasileiro.


Mondocani e Bob Dylan

A maioria das pessoas que Mondocani conhece que gostam de Bob Dylan, gostam porque todo mundo gosta. A maioria nunca leu Dylan no original porque não é tão anglo assim para tanto. Nem mesmo Mondocani. Aliás, a maioria de dentro de Mondocani mesmo gosta de Dylan porque todo mundo gosta. A minoria interior de Mondocani que gosta de Neil Young, por exemplo, gosta, proporcionalmente, mais de Neil Young que de Bob Dylan apesar de Mondocani ter ficado muito emocionado e comovido quando o vi cantando Like a Rolling Stone num show perto da casa dele.
A maioria não sabe que Like a Rolling Stone não tem nada a ver com Mick Jagger ou Richards ou Muddy Waters, mas conta a história de uma mulher que era milionária e que agora é mendiga. E que no fundo, a letra é poeticamente fraca. Nem Mondocani sabia até acessar o Google.
A maioria das pessoas, inclusive Mondocani, usa o Google para essas bobagens. E como Mondocani, todos sabem que, afinal, para que serviria o Google se não fosse para tais venais fins?Um dia Mondocani achará um bom e claro motivo para usar o Google. E se Google é como deus, então deverá ser assim para sempre, uma eficiente entidade para fins efêmeros. No dia em que Mondocani fizer isso, ele me conta e eu venho aqui publicar.
As pessoas que rezam pela paz mundial, como os budistas sokagakai, também rezam para comprar carros novos ou bons relógios Patek. Ou passar no vestibular.
Mas como Mondocani, são felizes e perdulários com dinheiro, saúde, amor, perdão, paciência e outras minúcias e picuinhas. E como Mondocani, rezam justamente por essas coisas.
É importante constatar que não são apenas os budistas que rezam por relógios ou perdão ou saúde. Até ateus rezam por isso. O que se sabe é que poucos rezam pela paz mundial ou fazem maratonas oratórias de 24 horas para tal. Para Mondocani é pura balela. É só pra ver quem fica mais tempo ajoelhado em louvor e sacrifício recitando um mantra através da madrugada.
Com a rapidez das informações que agora correm o mundo na velocidade da luz, meio que tudo ao mesmo tempo agora, ninguém soube ou reportou um genuíno êxtase nos moldes de Tereza D'Ávila ou de xamãs tibetanos. Deve ser porque o mundo está muito barulhento ou fedido.
O que importa mesmo é ouvir o talk blues truncado e suingado de Dylan ou as melodias caipiras/canadenses de Neil Young.
Mondocani vai até ali ligar o estéreo.

Canções queridas e esquecidas

As pessoas perdem a esperança como se perdessem guarda-chuvas.

Que temporal, não?

*nada a ver com a Dilma, dear.

O primeiro discurso
















"Valorizar a democracia em toda sua dimensão, desde o direito de opinião e expressão até os direitos essenciais da alimentação, do emprego e da renda, da moradia digna e da paz social".

"Zelarei pela mais ampla e irrestrita liberdade de imprensa".

"Zelarei, enfim, pela nossa Constituição, dever maior da presidência da República".

"Dirijo-me também aos partidos de oposição e aos setores da sociedade que não estiveram conosco nesta caminhada. Estendo minha mão a eles. De minha parte não haverá discriminação, privilégios ou compadrio".

"Recusaremos o gasto efêmero que deixa para as futuras gerações apenas as dívidas e a desesperança".

"Não podemos descansar enquanto houver brasileiros com fome, enquanto houver famílias morando nas ruas, enquanto crianças pobres estiverem abandonadas à própria sorte".

Agora ela é presidente de 100% do Brasil, não mais apenas dos números das estatísticas.
então é hora de ficar de olho.
Zoião grandão, todos nós, brava gente.