Fotos que eu gosto de bater - das notícias na tv










Voluntários em busca de sobreviventes.







O exército tomando as rédeas.














Ela está procurando a filha que não voltou da escola.









Sobreviventes observam onde havia uma cidade.





Ela está indo ver se dá para pegar alguma coisa em casa.
























Mãe e filho brincam na porta do abrigo.








Tiazinha na fila da telefonia móvel para falar com o marido em Tokyo.






O nome dele é Ishikawa e ele foi arrastado por uma daquelas ondas de tsunami.












As provisões chegando.












Sobreviventes num abrigo.












Água na cisterna da praça.









Crianças aprendem a pegar água num riacho.


Reencontro: mãe e filha.

Todas as emissoras de tv aberta estão transmitindo notícias 24 horas sobre o terremoto.
No noticiário de tv das sete da noite as notícias desviam-se um pouco da perigosa radioatividade perene da usina de Fukushima e transmitem tranquilidade e esperança aos espectadores. Foram abertos poços artesianos, centrais de telefonia, locais e murais de aviso e busca de desaparecidos.
Para mostrar que a normalidade chegou pra ficar, ao direcionar para as notícias daqui de Shizuoka ken, fizeram uma longa matéria sobre o novo urso polar do zoológico de Hamamatsu com entrevistas das crianças que estavam ali para recepcioná-lo no seu debut como atração.

Muitos idiotas estão dizendo que o país não estava preparado. Mas qual país estaria? Nem mesmo o mais pessimista dos governos se prepararia para algo dessa envergadura. Nem mesmo um estado de alerta total e eminência de guerra nuclear com invasão de Godzillas e Klingons enfurecidos causaria tamanha prontidão. São realmente uns idiotas com ligeiro pendor a um sebastianismo claudicante de odor de fraldas usadas. São os anônimos que fazem questão de dar entrevista para os seus quinze minutos de fama.
Vai haver um racionamento nacional de combustível. As pessoas estão estocando comida em casa aqui em Hamamatsu. Já está faltando comida nos mercados de Tokyo. Mas nada que não se resolva em alguns dias. Eu conheço a eficiência japonesa. Comida, água, claro que não pode faltar. Podemos racionar. Mas isso não precisa vir acompanhado de uma nuvem radioativa.

7 comentários:

Bem disse...

Pior está ocorrendo nos USA. Falando em Karma, Pearl Harbor. Gente que nem havia nascido durante a Guerra do Vietnam falando asneiras na Rede. Aqui no Brasil falam em religião, fim dos tempos e retribuição da natureza ultrajada. Como se um terremoto pudesse ser causado pela poluição.

Mas o pior mesmo é um bando de lunáticos falando uma arma secreta americana capaz de causar terremotos.

A estupidez dessas pessoas é algo além de qualquer escala.

Bem disse...

Vi no Jornal Nacional que um grupo de brasileiros estava recolhendo donativos, em especial Arroz, para levar a Sendai. Japoneses estavam doando sacas e sacas. O problema é que a estrada estava interditada por cusa da radiação e o desvio pelas montanhas estava sujeito a avalanches.

Essa solidariedade, japonesa, brasileira, chinesa etc. É que faz a diferença.

Anônimo disse...

É o maior desastre que aconteceu no japao, mas a eficiencia mostra que o numero de mortos é bem menor. Isto é inegavel e mostra que o Japao fez o possivel para se preparar bem. Realmente é inegavel! Desejo que o Japao e seus integrantes superem isso o mais logo possivel, se unindo e eliminando diferencas.

Nei kS disse...

Yeah - a todos!

Valeu!

Emilia disse...

Mantenha-nos informados!
Manda um abração para o Gilson!

Camilo disse...

Fosse uma tremor dessa magnitude aqui no Brasil... eu não estaria escrevendo agora. No mímino, por falta de energia elétrica e/ou internet.

Paola disse...

Nei,
Estou te acompanhando, não consigo escrever nada de novo sobre isso, eu sei que o JApão vai, mais uma vez ensinar ao mundo como se faz, bem e certo!
Beijo