quarta feira de neve

O dia a dia segue seu rumo. Basta que se viva assim para que o dia passe. O trabalho é a melhor coisa nessas horas.
Passo o dia pensando no que vou escrever para vocês. Passo o dia pensando em vocês.

Apreensivos ao menor ruído, damos saltos e grudamos as quatro patas no teto feito o gato Tom diante das sacanagens de Jerry.
Foi o Takashi que derrubou uma tábua que sustentava a tampa de um piano de cauda e fez um barulhão. Suzuki san e eu olhamos assustados e de lá ele disse, calma, foi a tábua, não é terremoto não.

Hoje ventou muito na direção certa, de oeste a leste, empurrando a radiação para o mar. Na verdade, sacanagem com os peixes que nós vamos consumir, afinal.

Frio de rachar em março. Tem essa. Lá em Tohoku - a região afetada - ainda está nevando muito. Hoje nevou em Hamamatsu um farelinho de inverno sem que deixasse um manto ou rastro. Apenas os vidros do carro ficaram sujos por causa da poeira do vento. Mas em março já era pra estar fresco com os ares de primavera, as cerejeiras em flor e os arrozais sendo preparados para o plantio. Remexer a terra é importante, mas não com tanta violência.

A única coisa que realmente sei das leis do xintoísmo - se é que há dogmas - é que não se cavoca a terra fincando a pá como se a agredisse. A pá deve entrar de forma rente na superfície, suavemente.

Hoje cheguei em casa e a Nanci havia acendido incensos.

Não estou pensando constantemente em morte, Galeguito. Minha morbidez é um repertório solícito de piadas de humor duvidoso e constragedor, se quando. Mas não nego que penso na morte virando a esquina. Quando restam esquinas.

O Galeguito disse que eu sou um patrimônio da vida dele. Idem ibidem, mano.

Ontem comprei mais um pacotaço de papel higiênico, um dos últimos da estante da rede Create de farmácias. As pessoas estão preocupadas com a higiene pessoal. Eu também. Bumbum bom é bumbum limpo.

Mais um reator da usina de Fukushima foi pro cacau. Tenho contraparentes em Tokyo, estou precupados com os simpáticos e amigos Watanabe, um casal de velhinhos cheios de vida e história pra contar. São os pais do Takeo, meu concunhado. Queria que eles fosse para bem longe de lá.

Pode começar um rodízio de blecaute aqui em Hamamatsu e região. A usina de Hamaoka - a mais próxima e a que alimenta a nossa região - está trabalhando em stand by, sem sobrecarregar-se. Ontem teve uma reunião entre o prefeito de Omaezaki e os técnicos e diretores da tal usina. Disseram que tudo bem, que nada será com foi lá em Fukushima.


Tomara.


Por conta de tal blecaute, espero que seja à tarde, estarei em Iwata, trabalhando e vai dar para escrever e contar as novidades.

Tomara.

Um comentário:

Gladston disse...

Se vc ver que vai ficar pesado Nei, venha para o Brasil até abaixar a poeira depois vc volta mano!