Telegramas do olho do furacão

Coisa gente atenção vidro de Chanel #5 vidro de janela lateral do quarto de dormir que submergiu asa de gaivota de aeromodelismo vaso sanitário aparelho estéreo frio de rachar côco.

Coisa grande pequena infeliz fofa pedra de afiar saco de lixo cutícula olho de vidro cd do Otto granito pênis vibrador boca da noite silêncio grito no escuro SOS: 3 pontos 3 traços 3 pontos.

Budismo pimenta em mim templo xintoísta algodão mesa culhões chaveiros casa segurança apito de parar trem dodeskaden godzilla pão de açúcar ultraman batom carro aço meu bem meu bem.

Morte cenáculo Iwate Miyagi Fukushima Deus Nagô santo protetor louvai por si e por sim e porque não por vovô e vovó e netinho e netinha e ninguém que não seja que não veja enfim.

Comer merda e desejar querer comer merda porque só há o inferno e o céu como cobertor na canção da saudosa maloca do trem das onze que não passa mais não vai nem vem não fui.

Chique mil celulares mesmo toque avisando vai vir virá veio água muita água explosiva invasiva subcutânea supraalma supersoul simca chambord peter paul and mary pray porque não sei.

Mãe cadê mãe filha cadê filha gato cadê gato voz cadê voz médico cadê médico pai cadê filho neto cadê tio vida cadê nome sonho cadê linha pedra cadê poeta pira cadê fogo pira achei loucura.

... ---... atômica eu só quero ler um livro em paz nunca mais vou saber a diferença entre nunez e fender e shimada porque somos todos iguais no fundo é tudo igual a tudo a sós e assim seja, amém.

Um comentário: