Ao infinito e avante - no Tao

Eu quero uma madrugada inteira com ou sem lua
duas janelas abertas escancaradas
três árvores dançando ao vento
quatro dedos dobrados e um polegar em pé
cinco fogueiras para aquecerem vidas
seis saudades num envelope
sete soluços e goles d'água
oito motivos para presentear-te
nove colinas e um pôr do sol
dez vezes esse poema e
mais dez vezes as dez vezes.

6 comentários:

Diva L. disse...

Somando mais dez vezes...
Ai, coisas tão "simples" e que nos fazem imensamente felizes.

Bjo grande, abraço na alma e boa semaninha.

Diva L.
//salto15vermelho.blogspot.com

Nei kS disse...

Sim, com simplicidade é mais facil. Mas é dificil.

Palavras Vagabundas disse...

"mais dez vezes as dez vezes." lindo isso, multiplicando assim pela vida.
bjs
Jussara

Nei kS disse...

Daí o Tao no titulo. Em alguns sutras também, quando querem dizer muitas pessoas ou coisas, dizem dez mil.

Enrique disse...

Perfeito isso, dez vezes dez mil vezes =). E só pra constar, leio seu blog já faz um tempo mas nunca comento - e sei lá, não custa dizer que é um dos meus blogs favoritos, desses que já não se fazem mais hoje em dia. Valeu, Nei!

Nei kS disse...

Obrigado, Enrique.

Seja benvindo e fique tranquilo, comentar ou nao, é uma questao de ritmo.

Abraços