Poemeu de cara de travesseiro

Paz, é a hora da paz.
Um golinho, um tequinho, um cheirinho.
Ouço os passos lépidos da formiga ofegante.

Nenhum comentário: