Aqui acolá e volta

É assim. O cara vem fazer uma tour pelo arquipélago. Então é Tokyo, Kyoto, Nara, Monte Fuji, Osaka. E dá-lhe templo. É templo xintoísta, xintoísta de demônios, de soldados das guerras, de anjos que esqueceram as roupas na praia (Miho-no-Matsubara), de crianças, de animais do bosque, etc.

Depois templos budistas, budista zen, Amida Butsu, Gautama, Daishonin, budista isso, aquilo. Vários budismos, muitos mesmo.
Depois é castelo. Castelo de rei, de shogun, de general, de capitão de governador, de cartas. Não, é uma metáfora.

Aí o cara se enche. Ele passa uma semana entre os séculos 8 e 19. Tem aquela tal síndrome de Firenze lhe invadindo as entranhas século 21.

E em todos lugares, incenso, chazinho verde, mochi com ankô, sen-bê e onigiri. Tudo local, feito a mão, realmente uma delícia. Mas,

mas quando o cara volta para Tokyo para voltar para casa e tem um ou dois dias free sem o bus, a guia e os horários rígidos, ele vai pra Akihabara e detona os travellers ou os dólares nas novidades a pilha, bateria ou que se ligam na tomada.
Game celular som, game que tem liquidificador, tablete com desenhinho da Hello Kit na moldura, som que tem batedeira, liquidificador que tem timer, game que tem no Brasil, batedeira com teclado Yamaha, carrinho a controle remoto com cara do Ultraman, smartphone que é só telefone (mesmo!), robô-aspirador de pó com sorriso de leds coloridos com controle remoto que pode ser acionado por celular de Nova York ou Fortaleza, geladeira de vinho com sommelier acoplado que fala várias línguas e cita se o bordeaux está na temperatura certa, arma laser para matar godzilla que é laser mesmo, pokemon, picachu, Zodiacs, Dragon Ball e saci-pererê. Tem também liberdade de fibra de carbono com opção para fuga constante. E psico-vôo 3D com pilha a lítio. Tem lanterna comum e lâmpada osram.

Lá vai ele, todo bambambã, cheio de manuais de funcionamento e instruções em japonês.

A conta de luz vai aumentar. O tédio também.

3 comentários:

Diva L. disse...

Ter pra ser...Êta vida besta!!! :(

Bjo grande e abraço na alma.
Diva L.

Bem disse...

Se o turista tiver mais idade, pode passear por aqui:

http://www.wordpress.tokyotimes.org/?p=7507

Rita Almeida Pinto disse...

Adorei, viajei.
Muito bom! Ri muito.