para o meu novo sobrinho

Quase caí na asneira de ler uma matéria intitulada "Como parar de fumar em 5 dias". Que bobagem. Pra parar de fumar basta um instante e depois não fumar mais. Fiz isso há alguns anos e never more. Acordei num sábado de novembro e pensei de hoje em diante não fumo mais. Pronto.

Outra é essa neo-intolerância desses cristãos babacas com quem não acredita em deus. São tão estúpidos que acham que agnóstico é uma nova denominação pentecostal.

Preferia quando o Brasil era apenas católico e macumbeiro. Pelo menos todo mundo era politicamente incorreto.

Tenho trabalhado muito. Mas é assim mesmo.

O filho do Paulão se chama Alexandre, nasceu hoje, é paulistano e tem tudo para ser feliz e legal como o pai. Se tudo der certo, está fadado aos devaneios e às rimas, às longas noites e aos amigos meio birutas.

Quero um carro novo que pode ser usado, mas novo. Quero uma mesa digital de 8 canais, mais que isso é pra sobrar muito. Quero assistir uma peça do Plínio Marcos, qualquer uma. Quero um final de semana completo.

Final de semana completo não é uma questão temporal. Nesse sentido, ele será naturalmente completo, de sexta à noite até o último suspiro acordado do domingo.

Final de semana completo é um final de semana completo. Você consegue?

Quero trabalhar menos e ganhar o mesmo tanto. É assim mesmo.

Quero raios de sol sem câncer.

O inverno está chegando lento e quente. Dias quentes suportáveis com uma camiseta de manga comprida. Noites frias tiritantes.

Entre um e outro, o pôr do sol entre novembro e março sempre é uma satisfação à parte.

Nunca vi a aurora boreal e nem um urso panda. Nem andei de Ferrari ou montei um elefante. Coisas assim fazem a gente pensar que a felicidade pode ser um mero acidente de ser e estar no lugar certo, diante de um urso boboca, montado num bicho fedido ou numa máquina caríssima. Tudo isso junto com o céu dançando.

Espero que o Alexandre faça e veja essas coisas e muito mais.

Tomara que ele vá à lua. Melhor ainda, tomara que ele volte de lá.

Felicidades, irmão Paulo, cunhada Lau, avós Domingos, Marlene, tia Beth e todos nós dessa irmandade de poucos - mas que são muito.



5 comentários:

São Paulo Urgente disse...

Parece até mentira que o Paulão é pai, nem ele acredita!!!

Rita Almeida Pinto disse...

Alexandre nem sabe ainda o quanto o Tio Nei é especial, mas vai ser uma pessoa mais animada se puder ler as coisas que vc divide conosco.
Besos, miguito!

KS Nei disse...

O Tio Nei é um amigo meio biruta, Ritita. Valeu, besos!

Kenia Mello disse...

Muito bem, gente nova no planeta, minhas boas-vindas!
E o que fazer quando o fim de semana só começa no domingo à tarde? Tragédia no que se refere à cerveja.
Beijos,

KS Nei disse...

Tragedia enlatada? Vixi...!