Alguns blogs dizem tchau

O blog Revista Íntegra está se despedindo de seus leitores.

A maioria dos blogs, quando vão ficando à deriva, são abandonados por seus autores e nós, sem o aviso prévio do jornaleiro, continuamos clicando para ver se há novidades.

Elas não, avisaram e pregaram na porta.

As seis meninas que mantiveram o a Revista Íntegra por cinco anos estão levantando vôos solos.
Espero que surja outro blog dessa rosa dos ventos de seis pontos cardeais.

Os blogs desaparecem por falta de leitores e não por falta de coisas interessantes para ler.
Blogueiros escrevem por prazer, para não ter dor de cabeça no fim da noite, para falar mal de alguém, para tirar a cabeça do ócio, para tirar cabeças do ócio.
Ou escrevem por puro ócio.
A maioria de nós mantém um blog por prazer. Poucos colocam anúncios em seus espaços.
O diletantismo é quase uma regra. Somos os fanzines do século XXI.
Por isso acho que algumas das blogueiras da Íntegra manterão alguma forma de interação, algo maior que um twitter. Assim espero.
E quando for o début, é só avisar, apareço com um prato de salgadinhos.
Boa sorte e sucesso a vocês!

Não vou entrar em detalhes sobre a fase áurea dos blogs ou do modismo que tomou conta nos primeiros anos da década. Mas muita gente, muita gente mesmo, montou um blog. Alguns duraram um post, outros, dias, meses. A maioria achou que todas as idéias que pululam nas cabeças durante o dia - a vida - poderiam se transformar em palavras, em textos de ligeira sintonia com meia dúzia de leitores. Ledo engano.

Alguns, como eu, só escrevem textos curtos, que se físicos e feitos numa velha Olivetti, não seriam maiores que uma folha de sulfite com espaço 2. Pelo menos escrevo mais de 140 caracteres.

Mas gostaria de conseguir ser conciso e direto com 140 caracteres, como num haiku ligado na tomada.

Várias vezes durante as longas fases de poucas idéias, pensei em desativar isso aqui. Mas seria como cortar um braço. E se tem uma coisa bacana na vida é ter três braços.

Na medida em que a gente se profissionaliza como blogueiro (um diletante profissional, que merda), percebe que são apenas fases e que duram no vazio o tempo que for e que quiserem porque quando os dedos coçam, as idéias pipocam e apertamos os botão ON, tarde demais, já estamos dentro do mundo virtual com mais essa pra meia dúzia de leitores.

Que bom.

Para tímidos, os blogs são um santo remédio.
Para preguiçosos como eu, um oásis.

Voilá!

6 comentários:

Cristina Pereira disse...

Nei,

Eu espero sinceramente que tu e o Corsarios permanecam firmes neste caminho, nao debande, nao desista. Continue a povoar a blogesfera com a simplicidade refinada do que tu escreve e fotografa.
Pra mim uma das coisas mais legais que resultaram da Integra foi saber do teu blog!

Te manteremos informado do que sucedera no universo virtual pos-Integra!

Abracao! Cris

KS Nei disse...

Sucesso e obrigado, Cris!

Cecilia Zugaib disse...

Nei,

nos conhecemos virtualmente e vou ficar com saudade de trocar ideias com voce pelo mundo virtual, que logo viviam no meu mundo real. Obrigada pela inspiracao.

Outro dia ouvi um cd de Sarah Vaughan chamado I love Brazil e pensei: com certeza Nei conhecesse esse.

Que sigamos o dialogo virtual.

Um abraço e obrigada pelas contribuicoes e pela divulgacao
Cecilia

KS Nei disse...

Claro, Ceci.

Mas não conhecia Sarah cantando para Peri.

Mas já tinha ouvido ela cantando bossas, não especificamente num album.

Mais uma dica preu correr atrás.

Obrigado!

Anônimo disse...

Caro Nei
Depois de ler esse seu texto, caí na real: o alcance que as coisas que a gente escreve tem na internet haha... e descobri seus textos bem legais, também - e ainda bem.
Pra você, eu desejo força pra continuar firme ! Obrigada por ter acompanhado nossa trajetória.
E, se "alguma ideia pipocar na minha cabeça", escrevo pra você ;-)
abraços virtuais para um novo amigo virtual
Miriam V.

KS Nei disse...

Obrigado a você, Miriam!