No fim do mundo

Jubileu da Rainha, eclipse solar, passagem do planeta Vênus entre a Terra e o sol.
Tudo em 2012.
Tem uns manés falando que são sinais do fim do mundo.

Não é o fim do mundo, é coincidência.
Assim como é coincidência você estar lendo isso.

Simples.

Fim do mundo, para qualquer um, é um lugar longe, geralmente é onde a pessoa está.
Para muitos estou no fim do mundo. Eu não acho, mas estou.

Para os maias - que elaboraram aquele calendário apocalíptico e sacana há 2500 anos - o fim do mundo era logo ali. Qualquer caminhada mais longa já era bem distante.
Aliás, no meio daquelas selvas, bastava sumir meia hora e já estava perdido. Mais longe, impossível.

E volto a dizer que o calendário só parou em 2012 porque as pedras acabaram.
As outras estavam muito longe, no fim do mundo.

Um comentário:

Palavras Vagabundas disse...

Adorei a teoria do fimdo mundo!
bjs
Jussara