Weather Report

Eu curto a banda. Mas não vou falar deles. Vou falar de weather report de verdade.
Não sei qual é o grau de confiabilidade numa situação que está por vir e é caótica e subjetiva, apesar de concreta.
Softwares elaborados resolvem equações complicadíssimas em fuderosos supercomputadores calculando e observando fenômenos estão na ponta de uma antena, na velocidade dos ventos, na umidade do ar.
Eu curto mesmo é assistir ao telejornal para ver o mano ou a mina do tempo. Geralmente o da NHK não erra uma. Apesar de estatal, deve ser por causa do salário.
Caras de televisão ganham bem para aparecer no horário nobre mesmo que seja por alguns segundos e que seja para falar gesticular atuar com um mapa que não está lá e que geralmente ele fala do norte do país e o dedo aponta o meio do Oceano Pacífico.
Aqui em casa, pelo computador, acesso três sites diferentes, todos usando os mesmos dados mandados pela base metereológica de Omaezaki. Iguais.
O que muda mesmo é o humor do técnico ou engenheiro encarregado de decifrar os gráficos e números apresentados.
É como se, por exemplo, o número apresentado fosse 4 (quatro)

e um diz
"um número menor que o infinito, mas maior que 3, sem passar de 5",

o outro diz
"algo entre 1 e 3000, muito próximo do 3 e 5",

e o outro diz
"quase 2, quase 3, quase 5, mas não é nenhum dos três".

Assim. Eles leem o 4 (quatro) assim.

Nem quando está chegando um tufão, eles entram num acordo.

Olha amanhã como vai ser.


Esse cara do canal do tempo (http://br.weather.com/weather/local/JAXX0116?x=12&y=13) é o pessimista. Quando ele escreve tempestades esparsas, vai ser nublado com uma gota na lente dos óculos. É do suor do mormaço.
Acho que ele vive com uma tia que foi tocadora de tuba no exército da salvação. Ela faz sopa de galinha dia sim, dia não e chupa a pele que vai acumulando na borda do prato. O pão é integral, daqueles que se esfarelam quando a gente passa margarina, mesmo as que ficaram fora da geladeira.
Ele tem um chaveirinho mini-isca-de-pesca-esportiva-do-Pantanal-1993 que usa até hoje. Tem as chaves da lambreta, de casa e do armário da academia que ele nunca mais voltou. Ficou assim, quer quer que chova na cabeça de todo mundo, assim como na dele. Pra ele o 4 (quatro) é 2 quase lá.



Esse tem um carrinho bacana, velho, mas cool (http://www.weathercity.com/jp/hamamatsu/).
Gosta de jogar xadrez com um velho chinês tomando chá de jasmim gelado.
Pratica tai chi chuan. Aliás, o velho chinês é o mestre. Estão na mesma partida há 4 anos, na mesma jogada há 7 semanas. É a vez dele.
É um cara realista e cético. Tem uma rotina previamente estudada e pratica algumas simulações aos domingos para não pegar o rush da segunda.
Pra ele o 4 é quatro e pra que perguntar isso, moço?




Esse aqui arrumou esse trampo (http://tenki.jp/forecast/point-1049.html) porque o bico que ele tava fazendo no jornal do centro academico estava acabando com os pulmões dele por causa daquele cheiro de mimeógrafo na sala. Um dia ele quis fumar um cigarro e quase botou fogo na entrevista do vice-reitor prestes a dar um golpe de estado no reitor.
Foram demitidos, ele e o vice.
A prima disse que tava ficando com um cara num site que precisava de alguém que entendesse de números. Batata, começou no dia seguinte e tudo que ele fazia era clicar na chuva ou sol ou lua ou guarda chuva com nuvem chovendo forte  ou nuvem com guarda chuva fechado ou bonequinho de neve ou sol com chuva.
O que ele mais curte é olhar pela janela e sentir o sol. Por isso, quase todo dia é ensolarado para ele. Mesmo quando o que mora com a tia diz que o weather será de tempestades esparsas.

Eu acredito nos três. Faço um balanço, abro a janela e vou na raça.
Prestar atençao em canal do tempo é igual horóscopo, o máximo que pode acontecer é chover na tua cabeça.

3 comentários:

J.F. disse...

Nei,
Seria quase como dizer que 4 e 4 podem dar 8 ou 44. Ou, como diria o filósofo Adoniran Barbosa, "é que de um relógio prá outro, as hora vareia". Que eu não sei se vem ao caso mas... tá aí e deixa prá lá! Gostei da postagem e das anteriores (fui bisbilhotar!). Parabéns!
Abração.

Gladstone Barreto disse...

Aqui tb tem mintiriologia...rsss

rodrigo tomé disse...

Seriam os meteorologistas poetas? (rss) Muito bom o texto!