Regina Rainha



Estava estou escutando Elis.
Estava porque tocou no carro e depois toquei de novo, cheguei em casa, botei de novo e agora to aqui todo todo.
Essa coisa de mp3 em modo aleatório traz as benesses da absoluta surpresa - e satisfação.
São sensações, diria o Rei.

Elis é um Brasil tão grande que transporta em si mais que o Brasil, transporta uma América inteira, um chão que cheira e soluça a saudades, comidas, amigos, vozes, grãos de areia na unha do dedão do pé.

O mínimo e o máximo sob a luz de serem um tudo total.

Lar.

Quero a floresta em lugar da cidade, ela diz. Ela sempre dirá, pra sempre.
Eu também quero.

Nessa afirmação está implícita essa vontade imensa de ver coqueiro e samambaia e gritar as palavras coqueiro e samambaia e todo mundo entender mas não compreender porque estou gritando coqueiro e samambaia.
Ah, nossas ruas e a minha gritaria.

Não importa. Mas gritarei.

Nenhum comentário: