Confissão


Burburinho de água de riacho tristonho e zombeteiro,
Água de riacho refletindo solidão e sombras tremulantes.

Pela água o pássaro passa voando no céu,
A solidão do pássaro na água do céu.

O riacho no chão, o pássaro pousa, 
O céu no céu, o pássaro, não.


Um comentário:

Um praticante disse...

Muito bonito. Delicado, claro e límpido, como a água do riacho e o céu acima dela.