Na Matriz

Sentado na praça pitando, apareceram dois cegos vindo na minha direção, bengalas nervosas tateando o mundo, vinham conversando. No meio do caminho havia um canteiro onde arrancaram uma árvore, sobrou o buraco, poucos metros de mim.
- Cuidado com o buraco - gritei.
- Obrigado.
Levantei e perguntei onde eles iam.
- Ali na rua Tucuruvi.
- Levo vocês.

- Quem é? É o Sérgio?
- Não, sou o Nei. E você?
- Eu sou Felipe, esse aqui é o Alemão.
- Você é da cidade, Nei?
- Sim, cheguei há poucos meses. E vocês? São daqui?
- Sim, nascemos aqui, quase nunca a gente sai daqui. Também, se sair, não vai adiantar, não íamos ver nada.
Rimos.

Deixei os dois na esquina da rua que iam.
- Obrigado, Nei.
- De nada.
- Mas não é o Sérgio mesmo?
- Não...
- Mas são bem parecidos!


Nenhum comentário: