TEMPEROS


O silêncio para plantar flores,
Voz de trovão para o fim das férias,
 Aula de canto nas cortinas brancas,
Um gol digital no home theater,
Brothers gregorianos na sala ao lado
E os vizinhos discutem o destino de viver.

Dez minutos são 0:10 mas podem ser quinze,
Água mineral engarrafada é natural,
Quase tudo está inacabado numa biblioteca,
Todos nós ultrapassamos pela direita,
Sgt. Pepper’s não é o meu favorito
E palhetas de guitarra foram feitas para sumirem.

Vozes divergem quanto ao preço das compras,
Todos divergem quanto ao preço das compras,
Hoje fui ao porto e vi um barco à deriva,
Enquanto dormimos estamos atentos ao nada,
Tão nada que preenchemos com tudo
E .


Nenhum comentário: